BLOG / Vídeos

Museus de design pelo mundo: para você curtir on e offline!

Arte e design acabam por integrar uma grande quantidade de coleções em museus renomados mundo afora. O MoMA – Museu de Arte Moderna de Nova York; o Victoria&Albert Museum, de Londres, e La Triennale, em Milão, são apenas alguns dos grandes acervos que conjugam arte, design, cinema, fotografia, moda e outros temas relacionados. Ter uma criação incorporada a um desses conjuntos de obras é sinônimo de reconhecimento e prestígio.

Para além destes acervos, a DW! quis reunir pra você uma série de museus inteiramente dedicados ao design. Escolhemos 12 instituições nos cinco continentes para explorar on ou offline. Vem com a gente descobrir e, quem sabe, incluir essa parada na próxima viagem.

➡️ Clique aqui e participe da lista de transmissão no Whatsapp da DW! 

Nas Américas

Na Cidade do México, Museo Mexicano del Diseño

A exposição imersiva Skulls & Arts levou caveiras coloridas para o MUMEDI, ficou em cartaz em outubro e novembro de 2023 | Fotos: Reprodução @skullsandartexhibition e @mumedi_oficial

Um mix de atrações se concentra do Centro Histórico da Cidade do México: elas giram em torno do design e congregam espaços para experimentar, comprar, exibir e degustar design em um hotel, café, restaurante, loja e museu, o MUMEDI – Museo Mexicano del Diseño.

Financiado pela iniciativa privada, o MUMEDI sedia exposições individuais e coletivas em modo temporário e busca se consolidar como lugar para a convergência de debates e experimentações do design em diferentes plataformas, desde gráfica e industrial, até joalheria, têxtil, interiores, arquitetura e ilustração, entre outros.

Em Nova York, Cooper Hewitt, Smithsonian Design Museum

Videosphere Model 3240 (1970); TV portátil da Victor Company of Japan, Ltd. (à esq.), no acervo do Cooper Hewitt e recorte da exposição ‘Na Atlas of Es Devlin’ | Fotos: Reprodução @cooperhewitt

Único museu dos EUA que se dedica exclusivamente à história do design e as suas manifestações na contemporaneidade, o Cooper Hewitt – Smithsonian Design Museum, conta com mais de 215 mil itens no acervo, que compreendem 30 séculos (!). A coleção vai de têxteis antigos a trabalhos de vanguarda. Todo esse material está digitalizado e pode ser consultado via web.

A instituição foi fundada em 1897, por Sarah e Eleanor, netas do industrial Peter Cooper, e se localiza na Carnegie Mansion, com quatro andares dedicados às exposições permanentes e temporárias. Há um calendário anual de workshops, palestras e debates, além de um prêmio, para fomentar discussões sobre o design e suas multiplicidades. O Cooper Hewitt ainda oferece um programa de mestrado em História do Design e Estudos Curatoriais.

Em Curitiba, Museu Oscar Niemeyer

Fachada do MON – Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, projetado pelo mestre e uma exposição da obra dos Irmãos Campana (à dir.), em 2017 | Fotos: Reprodução @museuoscarniemeyer

Atualmente, o Brasil, não tem uma instituição em funcionamento com abordagem ou recorte específico para o design e temas afins em seu acervo. O MCB – Museu da Casa Brasileira, primeiro e maior do gênero do país, se encontra fechado no momento da escrita deste post. Mas uma instituição que vem sobressaindo (e leva o nome e o traço de um grande arquiteto e autor de diversos projetos e móveis que fizeram história), é o MON – Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba (PR).

Inaugurada em 2002, a instituição reúne 15 espaços expositivos e, a cada ano, são realizadas cerca de 20 mostras. Sobre o museu, Niemeyer declarou: “é uma arquitetura que foge a tudo o que viram antes. Toda feita de audácia, de técnica e de fantasia”. A missão do MON é “colecionar e expor artes visuais, arquitetura e design, proporcionando experiências transformadoras e diálogos entre público e arte”.

Na Ásia

Em Holon, Design Museum Holon

‘Sabor do Futuro’ trazia imagens gastronômicas desenvolvidas por I.A. em exposição no Holon (à esq.) e o vestido de Jean-Paul Gaultier criado em homenagem ao estilista Albert Elbaz | Fotos: Reprodução @designmuseumholon

No Distrito de Tel Aviv, na cidade de Holon, está um jovem museu de design, inaugurado em 2010. Dedicado ao design e à cultura contemporânea, o Design Museum Holon fica em um edifício projetado por Ron Arad, com caráter imersivo. O programa da instituição é dinâmico e busca compreender o papel do design em nossas vidas.

Entre as exposições apresentadas, havia uma sobre materiais que convidava os visitantes a criar novos produtos com elementos existentes, outra do estilista israelense que comandou a Lanvin, Alber Elbaz e mais uma que investigava as mudanças culturais e nutricionais implicadas pela crise climática, além de mostras envolvendo questões de gênero e identidade. Temporariamente fechado, o museu deve reabrir no primeiro semestre de 2024.

Em Singapura e Xiamen, Red Dot Design Museum

Sedes de Singapura (à esq.) e Xiamen da rede de museus alemã Red Dot. Marca é responsável por uma das maiores premiações de design do mundo | Fotos: Reprodução Divulgação e @reddotdesignmuseum

A Red Dot é uma rede que nasceu em Essen, na Alemanha, e se estendeu por dois endereços asiáticos: Singapura e Xiamen, na China. Se a sede alemã conta com mais de 4 mil m2 expositivos e organiza temporárias, além de contar com um acervo permanentemente aberto, os demais lugares oferecem experiências que se diferenciam em suas peculiaridades.

O contraste entre o antigo e o novo e a experimentação do que é reconhecido como bom design – estético, funcional, ergonômico, de fácil manuseio e ecológico – são as linhas mestras que regem a curadoria de Essen. Em Singapura, o museu-boutique em Marina Bay personifica o Red Dot Design International Award, dando ênfase à exposição de mais de 500 designs premiados. O edifício foi projetado pela Cox Architects, foi reformado em 2017 pelo escritório MAKK Architects e ganhou um mezanino.

Em Xiamen, o museu recém-inaugurado ocupa um edifício contemporâneo no Centro de Operações Empresariais de Xinglinwan. Com 262 metros, é o segundo mais alto da cidade portuária. Três dos 54 andares estão ocupados pela Red Dot. O Poder do Design é a mostra inaugural disposta em mais de 10 mil m2, alinhavando uma visão do design de produtos, tendências e inovações.

Na Oceania

Em Sydney, Australian Museum of Design

Algumas das ilustrações em padronagens originais do acervo do AMoD, em Sydney, Austrália | Foto: Reprodução @australianmuseumdesign

Na Austrália, cerca de 7,5 mil ilustrações com padrões para tecidos e papéis de parede, desenvolvidas por designer australianos – especialmente das décadas de 1960 a 80 – estão reunidas e preservadas no AMoD – Australian Museum of Design. O magnífico conjunto de obras pode ser, inclusive, consultado digitalmente aqui. As peças foram criadas por nomes como Noel Lyons, David Miles, Carla Zampatti e Bruce Clarke, manualmente, em camadas de acetato. Um primor.

Na Europa

Em Milão, Museo del Design Italiano

Na foto, poltrona Thinking, desenhada por Jasper Morrison, que integra a acervo da Triennale Milano | Foto: Gianluca Di Ioia/ Divulgação

Ele é parte da Triennale Milano e foi inaugurado de forma intermitente em 2019. Contudo, durante a edição de 2023 da Semana de Design de Milão, o Museo del Design Italiano abriu as portas de maneira definitiva com uma exposição permanente que comemora o centenário da Triennale.

São obras-chave do design italiano associadas a criações contemporâneas que percorrem os últimos 100 anos e contemplam ‘novos materiais, novas técnicas e novos códigos estéticos revolucionaram ambos o lar e a sociedade’, como pontua marco Sammicheli, diretor do museu que fica no Palazzo dell’Arte.

Assim, a história do design italiano é contada através da reconstrução de vários interiores em uma linha do tempo fundamental ao desenvolvimento do design ocidental e que culmina na Plataforma Design, onde serão sediadas mostras de criativos contemporâneos.

Em Copenhage, Designmuseum Danmark

Sala dedicada ao designer dinamarquês Verner Panton (1926-98) e um dos modelos de roupas folk (à dir.) revisitadas pelo estilista Nicholas Nibro, na mostra ‘PROUD’, ambos no Designmuseum Danmark | Fotos: Reprodução @designmuseumdanmark

O Designmuseum Danmark, na Dinamarca, é longevo: foi fundado em 1890 e abriu suas portas ao público cinco anos depois. Seu escopo visa demonstrar a qualidade do design e influenciar os criativos e a indústria, bem como os público entusiasta do assunto. Desde 1926, a instituição ocupa o antigo Royal Frederik’s Hospital, em estilo Rococó de meados do século 18, que foi reformado e adaptado ao museu pelos arquitetos Ivar Bentsen e Kaare Klint – este último, intimamente ligado à instituição para além da arquitetura.

Desde 2012, o museu conta com um laboratório de design para ministrar oficinas e é uma plataforma de desenvolvimento, discussão e criatividade para a comunidade. De 2020 a 2022, uma nova reforma restaurou elementos históricos decorativos associados à arquitetura e modernizou as instalações. Mobiliário, design dinamarquês, pôsteres e fotografias então entre os itens que compõem as coleções. Entre as últimas exposições em cartaz, temas como moda – com indumentárias artesanais regionais – joalheria e mobiliário para o futuro foram contemplados.

Em Weil am Rhein, Vitra Design Museum

Esculturas desenvolvidas por Claes Oldenburg (1929-2022) em frente ao prédio projetado por Frank Gehry para o Vitra Design Museum | Foto: Reprodução @vitradesignmuseum

Em um campus com construções assinadas por uma série de arquitetos de renome mundial, está o Vitra Design Museum, que pertence à empresa de mobiliário alemã Vitra – ela produz os originais de ícones como as cadeiras Standard, de Jean Prouvé (1901-84), e Panton, de Verner Panton. O Vitra Design Museum dedica-se à pesquisa e apresentação do design, extrapolando essa busca para as relações da disciplina com a arquitetura, a arte e a cultura cotidiana.

Além da exposição permanente do acervo com mais de 7 mil peças, cerca de dez mostras temporárias anuais são distribuídas nos edifícios principal, assinado por Frank Gehry; no Schaudepot, de Herzog & de Meuron e, eventualmente, em outros espaços do campus. Há ainda, programações educacionais, workshops e talks realizados com regularidade.

Em Londres, The Design Museum

Exposição ‘Rebel: 30 Years of London Fashion’ tem como uma de suas peças de destaque o vestido usado por Björk, da NEWGEN, para o Oscar de 2001 | Foto: Reprodução @designmuseum

Fica no Reino Unido ‘o’ Design Museum, que afirma ser o principal museu dedicado às múltiplas formas de design no planeta. A instituição fundada por Sir Terence Conran, em 1989, nasceu em um armazém de bananas nas docas de Londres. E em 2019 mudou para Kensington em um edifício repaginado pelo arquiteto John Pawson.

O acervo é composto por designs que moldaram o mundo moderno e conta a história da produção em massa da primeira Revolução Industrial até as inovações digitais. Arquitetura, moda, móveis, produtos, design gráfico, transporte, protótipos, projetos e croquis são expostos a fim de explicar ‘o que é design?’ a todo tipo de público. Entre as exposições recentes estão enfoques como o skate, a construção de moradias de baixo carbono e a cultura fashion contemporânea.

Em Berlim, The Bauhaus-Archiv | Museum für Gestaltung

Hands on Nails (à esq.) é uma das exposições + performances em cartaz no Temporary. Também é possível conhecer parte do acervo, com trabalhos como o cartão-postal desenhado por Dörte Helm (1898-1941) | Fotos: Reprodução @bauhaus_archiv

A Bauhaus é uma mais importantes escolas de design de todos os tempos e, em 2018, o Bauhaus-Archiv | Museum für Gestaltung começou a ser reformado e expandido. A ideia é deixar o prédio construído na década de 1970, com projeto de Walter Gropius (1883-1969), para o arquivo e a biblioteca da escola e criar um anexo para exposições, oficinas, apresentações e conversas.

Enquanto a obra não termina, o Bauhaus-Archiv Temporary funciona em Charlottenburg, na Haus Hardenberg, projetada pelo arquiteto Paul Schwebes (1902-78), recebendo exposições temporárias e atrações diversas. Desde janeiro de 2022, a instalação imersiva Bauhaus Infinity Archive é um dos destaques: através do uso de inteligência artificial (IA), mais de 15 mil imagens, fotos, documentos e esboços de trabalho podem ser pesquisados com base em chaves visuais, como uma linha desenhada ou cor. Essa é uma pequena parte do imenso acervo, com mais de 1 milhão de itens, acessível digitalmente aqui.

Em África

Em Johanesburgo, Museum of African Design [in memorian]

Uma das últimas exposições sediadas pelo MOAD, ‘Unfinished City’, em 2017 | Foto: Reprodução Facebook MOAD

O MOAD – Museum of African Design, na África do Sul, foi o primeiro do continente dedicado exclusivamente ao design. Em um espaço industrial no distrito de Maboneng, trazia exposições ecléticas, modernas e inovadoras. Além delas, tinham lugar ali desfiles de moda, performances e outros eventos culturais. Uma livraria-loja e um café-bar também estavam abertos ao público e sediavam workshops de artesanato a webdesign. O museu operou de 2013 a 2017 e, infelizmente, não tem previsão de reabertura.

Curtiu nossa seleção? Conta pra gente nos comentários se você já conhece algum destes museus e outros que a gente pode incluir nessa lista! Aproveite e assine a newsletter da DW! para não perder conteúdos sobre o universo do design e acompanhe nossas novidades via Instagram.

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DW! SP 2024

Cadastre seu e-mail para receber notícias exclusivas do festival e do universo do design, arquitetura e decoração:

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!


    Você poderá cancelar a assinatura a qualquer momento.

    Consulte nossa política de privacidade.