BLOG / Vídeos

Alcova se firma como pólo do design de vanguarda no circuito off-Saloni 2023

Ex Macello di Porta Vittoria: o antigo matadouro de Milão vai ser revitalizado e transformado em um centro cultural | Foto: Reprodução @ex_macello

Nos últimos anos, Alcova vem se firmando como um dos eventos off-Saloni mais interessantes e concorridos da Semana de Design de Milão. E, talvez, pode-se dizer que dois pilares são fundamentais para esse status: a curadoria de criativos, marcas e ações inventivos e inovadores, assim como a eleição de lugares de interesse histórico-arquitetônico para abrigar instalações, mostras, palestras e lançamentos.

Em 2022, por exemplo, Alcova ocupou o Centro Ospedaliero Militare di Milano, um antigo hospital militar em Inganni. Em 2023, o lugar escolhido é um antigo matadouro da cidade. O local chamado Macello di Porta Vittoria, per se merece a visita: construído entre 1912 e 1914, foi inteiramente desativado em 2005 e conta com cerca de 15 hectares de construções. Há promessas de uma radical revitalização no local nos próximos meses.

Assim, a plataforma nascida em 2018, mais uma vez, faz com que os olhares do festival se voltem a espaços históricos e significativos para a cidade através do design vanguardista produzido hoje. Os curadores Joseph Grima e Valentina Ciuffi selecionaram intervenções criativas e nomes emergentes de interesse para a 5ª edição de Alcova. A reflexão é sobre o que inspira as massas.

Se você for visitar o ex-Macello, fique atento ao bar principal, projetado pelo A-N-D, de Vancouver, além da iluminação assinada pelo estúdio nova-iorquino Lindsay Adelman, assim como a mostra This is Denmark, que convida o público a descobrir a essência do design dinamarquês.

Conheça alguns destaques de Alcova

The New Raw

O estúdio holandês The New Raw (@the_news_raw) realiza pesquisas e desenvolve produtos a partir de lixo plástico, usando robôs e design. Em Alcova, o destaque é Knotty, instalação de bancos com superfície fofinha e super tátil | Foto: Reprodução @the_new_raw

O estúdio holandês The New Raw (@the_news_raw) faz pesquisa e desenvolve produtos a partir de lixo plástico, usando robôs e design. Em Alcova, o destaque é Knotty, instalação com bancos com superfície fofinha e supertátil | Foto: Reprodução @the_new_raw

Umut Yamac

O arquiteto Umut Yamac (@studioumutyamac) leva à Alcova suas tapeçarias tridimensionais: luminárias baseadas em tensão que exploram o potencial das cordas para criar volumes dinâmicos e moirés, ou seja, padrões de interferência luminosa que geram a ilusão de movimento e profundidade | Foto: Reprodução @studioumutyamac

O arquiteto Umut Yamac (@studioumutyamac) leva à Alcova suas “tapeçarias tridimensionais”: luminárias baseadas em tensão que exploram o potencial das cordas de para criar volumes dinâmicos e moirés, ou seja, padrões de interferência luminosa que geram a ilusão de movimento e profundidade | Foto: Reprodução @studioumutyamac

Studio David Pompa

O Studio David Pompa (@studiodavidpompa) desenvolveu a instalação Stone Archive, que explora a origem vulcânica da nova coleção Ambra Toba de luminárias-esculturais, que combinam pedras e alumínio. | Foto: Reprodução @studiodavidpompa

O Studio David Pompa (@studiodavidpompa) desenvolveu a instalação Stone Archive, que explora a origem vulcânica da nova coleção Ambra Toba de luminárias-esculturais que combinam pedras e alumínio. | Foto: Reprodução @studiodavidpompa

Samer Selbak

Se você lembrou de uma bucha natural para banho ao ver a luminária Saffeer, não se enganou. O projeto Luffa, do qual ela faz parte, é uma investigação sobre a planta Luffa, utilizada pelos povos árabes e entre outros há séculos, como esponja de banho. O artista Samer Selbak (@samerselbak) deseja valorizar o material e “reintroduzir a natureza no ambiente doméstico, questionando nosso distanciamento histórico em relação a ela” | Foto: Reprodução @samerselbak

Se você lembrou de uma bucha natural para banho quando viu a luminária Luffa, não se enganou. O projeto Luffa, do qual ela faz parte, é uma investigação sobre a planta Luffa, usada pelos povos árabes há séculos como esponja de banho. O artista Samer Selbak (@samerselbak) deseja valorizar o material e “reintroduzir a natureza no ambiente doméstico, questionando e questionar nosso distanciamento histórico em relação a ela” | Foto: Reprodução @samerselbak

Saiba mais sobre a plataforma em alcova.xzy. Para mais notícias sobre o I Saloni e a Semana de Design de Milão, continue acompanhando o Blog e o Instagram da DW! e para receber conteúdos sobre design em primeira mão, não deixe de assinar nossa newsletter.

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DW! SP 2024

Cadastre seu e-mail para receber notícias exclusivas do festival e do universo do design, arquitetura e decoração:

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!


    Você poderá cancelar a assinatura a qualquer momento.

    Consulte nossa política de privacidade.